PARANÁ HISTÓRICO

Laranjeiras do Sul em meados da década de 1950

Na interseção das ruas Marechal Rondon e Félix Fleury, um cenário nostálgico ecoa através das construções que marcaram a história de Laranjeiras do Sul em 1955. A esquina abrigava a residência de Amazonas Marcondes, testemunhando os tempos passados com sua própria história entrelaçada à cidade.

Ao lado, erguia-se o Cine Guarani, propriedade de Tadeu Folda, um marco como o primeiro cinema da região, onde muitos habitantes se reuniam para desfrutar de momentos de entretenimento e lazer. Sua fachada, ainda que hoje transformada, carrega memórias das sessões de cinema que encantaram a comunidade.

Descendo a rua, o Antigo Bar Central se destacava pela sua autenticidade culinária. Famoso por suas linguiças, mortadelas e pela icônica “branquinha”, uma pinga de alambique que aquecia os corações e alimentava as conversas entre amigos. O local abrigava as primeiras mesas de sinuca da cidade, um ponto de encontro onde histórias eram compartilhadas e amizades se fortaleciam.

Por fim, o Açougue Central, inicialmente da família Rodrigues e posteriormente pertencente a Seu Julio Buava, completava o quadro. Era ali que a comunidade encontrava carne fresca e de qualidade, um ponto essencial na vida cotidiana dos moradores, que ali buscavam os alimentos para suas refeições.

Essas construções, preservadas na memória e eternizadas através de registros como a foto do acervo digital de Thiago Trippeno, são testemunhos vívidos de uma era passada, um retrato de uma Laranjeiras do Sul que viveu seus momentos de transformação e crescimento.

Crédito: Laranjeiras do Sul – Memórias e Histórias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *