SEGURANÇA

Operação conjunta resulta em apreensão de drogas e contrabando em Cambé

A ação foi coordenada entre a 11ª Companhia Independente da Polícia Militar, a Agência de Inteligência, Rádio Patrulha Auto, Receita Federal e Polícia Federal.

Foto: PMPR

As equipes policiais da 11ª Companhia Independente de Polícia Militar, em uma ação coordenada entre a Agência de Inteligência, Rádio Patrulha Auto, Receita Federal e Polícia Federal, realizaram uma operação de combate ao crime na região de Cambé, no Norte do Estado, que resultou em apreensões de drogas e cigarros contrabandeados.

Na primeira ocorrência, após receber informações da Receita Federal sobre transporte de drogas na área, as equipes de vigilância identificaram um veículo Fiat Uno de cor branca, que levantou suspeitas. Com o apoio de uma viatura da Polícia Militar, foi feita a abordagem, e na revista do veículo foram encontrados aproximadamente 100 quilos de maconha. O condutor, maior de idade, recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a central de flagrantes.

Em seguida, novas informações indicaram a chegada de um veículo utilitário tipo caminhonete, de cor verde, trazendo ilícitos para a região de Cambé. As equipes monitoraram as rodovias que dão acesso à região Norte do estado. Durante a operação, policiais militares avistaram o veículo com as características mencionadas, e ao tentar fazer a abordagem foi surpreendida por um veículo sedan de cor cinza, que efetuou disparos. Em resposta à agressão, a equipe policial revidou os tiros. Apesar do confronto, foi possível abordar o veículo Fiat Strada de cor verde, placa KKO4545, que transportava aproximadamente 20 caixas de cigarros contrabandeados do Paraguai. O condutor foi detido e encaminhado à Polícia Federal.

Essa operação conjunta entre as forças de segurança demonstra o comprometimento das autoridades no combate ao tráfico de drogas e ao contrabando, visando manter a ordem e a segurança na região. As investigações continuam para identificar outros possíveis envolvidos nessas atividades criminosas.

(AEN)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *