DESTAQUESJUSTIÇA

Pedreiro que matou e concretou mulher em parede pega 27 anos de prisão

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Nesta última quarta-feira (22), o pedreiro Edmilson Veríssimo da Silva foi condenado a 27 anos e 10 meses de prisão pelo homicídio e ocultação de cadáver da estudante Joice Maria da Glória Rodrigues, ocorrido em 2021. A decisão foi proferida pelo Tribunal do Júri da comarca da cidade de São Vicente, no litoral de São Paulo, sob a condução do juiz Alexandre Torres de Aguiar.

Edmilson, que já havia confessado o crime, admitiu em depoimento à Polícia Civil que estrangulou Joice com uma camiseta após manter relações sexuais com a jovem de 25 anos na época do ocorrido. Posteriormente, com a colaboração de um cúmplice, Jonathas Soares de Santana, o pedreiro ocultou o corpo ao concretá-lo em uma parede dentro de uma obra em construção, também em São Vicente. Jonathas foi julgado em abril e condenado a 29 anos e 10 meses de prisão.

O juiz Alexandre Torres de Aguiar destacou a “extrema frieza” de Edmilson ao tentar esconder o corpo da vítima, cobrindo-o com revestimento de construção em uma parede da casa onde estava trabalhando. O crime chocou a comunidade local, uma vez que Joice Maria da Glória Rodrigues desapareceu em 27 de setembro de 2021, sendo seu corpo encontrado oito dias depois concretado em uma parede dentro de uma obra em construção na Rua Senador Lúcio Bittencourt, no bairro Esplanada dos Barreiros, em São Vicente, no litoral de São Paulo. A condenação de Edmilson representa um passo significativo na busca por justiça pela brutalidade do crime cometido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *