PARANÁ

Prefeito Celso Góes inaugura Casa de Passagem Indígena de Guarapuava

A Casa de Passagem Indígena de Guarapuava é um local de acolhimento para os povos indígenas, com um atendimento humanizado, respeitando os costumes, línguas, crenças e tradições

Guarapuava (PR) – Com o objetivo de oferecer um espaço adequado para o acolhimento, intercâmbio cultural e potencialização da economia artesã da população indígena em trânsito no município, na manhã desta segunda-feira (23), foi inaugurada a Casa de Passagem Indígena de Guarapuava, localizada no bairro Bonsucesso.

O espaço, realizado com recursos próprios do município, conta com 240 metros quadrados de área construída, com 3 banheiros acessíveis, 3 quartos, cozinha, amplo espaço para a convivência, um local para a exposição de trabalhos artesanais e para o atendimento de clientes, oferecendo instalações físicas em condições adequadas de habitabilidade, higiene, salubridade e segurança.

“Quando a gente é candidato a prefeito de uma cidade do tamanho de Guarapuava, tem que ter compromissos de campanha, não é promessa, é compromisso de campanha. E hoje, nós estamos entregando o último compromisso de campanha que nós tínhamos feito com a assistência social. Nós estamos muito felizes porque pegamos a lista e fomos, um por um, fazer todos os programas que nos comprometemos com a população de Guarapuava. Sabemos que esse é um marco histórico para o nosso município e fico extremamente feliz em poder concretizar esse sonho”, destacou o prefeito de Guarapuava, Celso Góes.

Por meio de estudos realizados pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (SEMADS), os territórios que serão atendidos com maior frequência estarão envolvendo os municípios de Manoel Ribas com o território de Ivaí, de Turvo PR o território de Marrecas, e da cidade de Nova Laranjeiras o território de Rio das Cobras.

Os dados foram levantados durante os últimos anos, devido às abordagens sociais, onde ficou comprovado que são os que mais se deslocam para Guarapuava para venda dos artesanatos. A secretária da Pasta, Elenita Lodi, comentou alegremente sobre a realização dessa que era uma demanda antiga para o município.

“Estou feliz por fazer parte de uma gestão comprometida com o ser humano. Com o bom atendimento e com a política pública de qualidade. Ainda quando candidato, o prefeito Celso Góes estava elaborando o seu plano de governo e eu estive acompanhando esse processo, uma das demandas levantadas era o atendimento ao indígena. Foi colocado nas metas deste plano a Casa de Passagem Indígena. Quando eu assumi como secretária, ao elencarmos as prioridades, novamente o prefeito Celso solicitou que fosse dada uma atenção especial aos indígenas. Diante disso, afirmo que aqui estamos cumprindo mais um compromisso de campanha do nosso prefeito. Enfim, eu só tenho a agradecer por conseguir possibilitar mais políticas públicas de assistência social e cada vez melhor em Guarapuava”, salienta a secretária.

Ao todo, 30 pessoas entre adultos e crianças serão atendidos. O período de funcionamento será ininterrupto (24 horas) e o tempo de permanência será definido conforme o calendário com as lideranças indígenas das aldeias, seguindo o fluxo do regimento interno.

A equipe da SEMADS visitou os municípios de Irati, Ponta Grossa e Maringá, que possuem este serviço para, assim, realizá-lo da melhor forma em Guarapuava, visto que não há normativa para este serviço de passagem com o segmento indígena.

“Foi fundamental essas visitas que a gente fez na Casa de Passagem, em Irati, em Ponta Grossa e em Maringá. Agradecemos às equipes técnicas, às secretarias, por terem nos recebido, para a gente estar vendo toda a organização que eles estão fazendo nesses municípios, tendo em vista que não há uma regulamentação própria definida hoje de como deve ser uma Casa de Passagem Indígena. Então, cada município faz uma adaptação e vai construindo, de acordo com suas peculiaridades, a sua casa”, ressaltou a coordenadora da Divisão de Proteção Social Especial, Cris Ellen Zampier.

Em nome dos indígenas que serão acolhidos na Casa de Passagem de Guarapuava, o cacique Marcos dos Santos do território de Marrecas, declarou satisfação pelo trabalho da administração pública por meio da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social aos indígenas da região.

“A gente fica muito satisfeito com o prefeito e com a Secretaria pela Casa de Passagem de Guarapuava que vai beneficiar as comunidades indígenas. Só a gente que está dentro de uma comunidade para ver o sofrimento que o pessoal tem passado. Mas, agora com essa Casa de Passagem vai se tornar bem mais fácil a permanência de quem vem comercializar o artesanato da comunidade”, disse o cacique.

Para Dirceu Pereira Santiago do território de Ivaí, a Casa de Passagem é uma questão de dignidade com os que vêm até Guarapuava para realizar o comércio de seus artesanatos.

“Para nós é muito bom e muito importante, porque o nosso povo que vem comercializar aqui em Guarapuava ficava em beira de rodoviária. Hoje com a casa, eles vão poder se alimentar bem, dormir bem e tomar seu banho quente para depois sair comercializar os artesanatos. Para nós é de uma importância e satisfação muito grande”, comentou Dirceu.

A cerimônia contou ainda com a apresentação cultural do grupo Gan Tãn de Canto e Dança do Território Indígena de Marrecas, município de Turvo. Estiveram presentes vereadores, secretários, servidores municipais e estaduais e integrantes da comunidade indígena.

Secom/Guarapuava

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *