DESTAQUESSAÚDE

Arritmias cardíacas matam 300 mil pessoas por ano no Brasil, diz Sobrac

Doença altera os ritmos dos batimentos do coração e é a principal causa de morte súbita


Cascavel (PR) – No dia 12 de novembro foi celebrado o Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita. Segundo a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC), as arritmias são a maior causa de morte súbita no país e fazem cerca de 300 mil vítimas por ano.

A doença altera o ritmo das batidas do coração, que podem acelerar ou bater mais devagar do que o normal. Segundo a Sobrac, a maior parte das arritmias é benigna; as malignas acometem principalmente quem já sofre de alguma doença cardíaca. A doença pode ser congênita ou adquirida.

“Elas são perigosas quando a pessoa já tem uma cardiopatia estrutural, hipertensão, diabetes ou outra cardiopatia. Uma arritmia nessas pessoas pode causar desmaios ou até morte súbita”, alerta Gerson Luiz Bredt Junior, cardiologista e conselheiro da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Risco para todas as idades

As arritmias cardíacas podem estar presentes em crianças, jovens, adultos e idosos, onde é mais frequente. De acordo com a Sobrac, muitas vezes a doença não provoca sintomas, por isso a necessidade de uma rotina de avaliações.

Em caso de parada cardíaca cada segundo faz a diferença. A taxa de sucesso da recuperação do paciente diminui 10% a cada minuto, de acordo com especialistas, por isso a urgência da massagem cardíaca ou desfibrilador.

“O melhor socorro é a prevenção. Ir ao médico com frequência para fazer um check-up, principalmente se a pessoa já tem algum problema no coração”, orienta o cardiologista.

Assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *