PARANÁ

Guarapuava é o município mais rico do Paraná no agronegócio, segundo Ministério da Agricultura

A pesquisa divulgada na última terça-feira, 19 de setembro, identificou os 100 municípios mais ricos do Brasil em se tratando do agronegócio. Guarapuava figura da 62ª posição nacional e primeiro lugar no Estado. Tibagi e Cascavel também aparecem na lista

Guarapuava (PR) – O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) identificou os 100 municípios mais ricos do Brasil no agronegócio. A análise foi feita a partir da pesquisa anual do IBGE da Produção Agrícola Municipal (PAM). A pesquisa englobou os dados da produção agrícola municipal, referentes a 2022, levando em conta variáveis como área colhida, produção, valor da produção das lavouras e rendimento.

No topo da lista dos 100 mais ricos, selecionados de uma relação de 5.563 municípios, encontram-se Sorriso (MT), Campo Novo do Parecis (MT), Sapezal (MT), Rio Verde (GO) e São Desidério (BA), com participação expressiva na produção brasileira de algodão, milho e soja.

Do Paraná, três municípios entraram na lista dos mais ricos no setor. Guarapuava se destaca, ocupando o primeiro lugar no Estado e a 62ª posição nacional. Em seguida, aparecem os municípios de Tibagi (67ª colocação) e Cascavel (93ª posição).

“Figurar em uma lista nacional entre os municípios mais ricos do Brasil no agronegócio e o primeiro do Paraná no setor, é sinônimo de que nossos produtores estão desempenhando um trabalho exemplar. A força do cooperativismo e das empresas do setor retratam isso. Todos os anos, notamos um aumento em nossa produção. Isso demonstra nossa capacidade de desenvolvimento e reflete na modernização da cidade. Parabenizo nossos agricultores, pesquisadores e empresários do setor”, comemorou o prefeito de Guarapuava Celso Góes.

O secretário de Agricultura de Guarapuava, Itacir Vezzaro, falou da importância deste título para o município.

“O destaque de Guarapuava no setor agropecuário é o resultado da boa administração dos agricultores. São pessoas que levam o agronegócio a sério e se preocupam com o crescimento da produtividade, sem perder o respeito pelo meio ambiente e as questões sociais.  O sucesso da produção faz parte de um processo muito bem-elaborado e pensado. Daí, os resultados de destaque no cenário nacional. A adesão às tecnologias, faz total diferença, pois isto gera inovação. Os produtores rurais se utilizam dos recursos disponíveis e são ousados nas pesquisas e aplicação de novas técnicas em suas propriedades. Os resultados são fantásticos. Além das culturas divulgadas amplamente, como milho, cevada, trigo e soja, também somos grandes produtores de leite, de madeira, e recordistas na produção de batatas. Parabenizo nossos produtores rurais pela dedicação e dinâmica. É gratificante ver nosso município ocupando o pódio em se tratando de produção agrícola. Este título em nível nacional consolida o trabalho dos nossos produtores”, disse Itacir.

De acordo com a avaliação da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, os resultados do ano pesquisado mostraram recordes de produção e de valor dos produtos comercializados. A produção foi de 263,8 milhões de toneladas em uma área de 90,4 milhões de hectares. Já o valor da produção das lavouras permanentes e temporárias foi de R$ 830,09 bilhões.

A área total dos municípios mais ricos é de 30,156 milhões de hectares, e representa 34,2% da área total de 90,4 milhões de hectares. Os mais ricos representam 34,71% do valor da produção e geram R$ 288,13 bilhões. Também os índices de produtividade nas lavouras dessas localidades são relevantes e altos, segundo a análise da pesquisa realizada.

Entre os 100 municípios mais ricos, 67 situam-se no Centro-Oeste, assim distribuídos na região: 41 municípios em Mato Grosso, 14 em Goiás, 11 no Mato Grosso do Sul e um no Distrito Federal (Brasília).

Em Minas Gerais, encontram-se 11 e na Bahia, sete municípios, Paraná três municípios, São Paulo 2 e o restante, em outros Estados.

Na Bahia, os mais ricos são:  São Desidério, Formosa do Rio Preto, Barreiras, Correntina, Luiz Eduardo Magalhães, Riachão da Neves e Jaborandi.

Em Minas Gerais, os municípios mais ricos são Unaí, Uberaba, Paracatu, Perdizes, Sacramento, Buritis, Patrocínio, Araguari, Coromandel, Uberlândia e Guarda Mor.

No Paraná, os três mais ricos são Guarapuava, Tibagi e Cascavel.

 

*Secom/Guarapuava Com informações do Ministério da Agricultura e Pecuária

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *