OPINIÃO

Reconciliação

Por Fernanda Broering Dutra*

A reconciliação é um conceito que transcende as relações interpessoais e se estende ao nosso relacionamento com a natureza. No contexto das relações humanas, a reconciliação refere-se ao ato de restabelecer a harmonia e a paz entre duas pessoas que estavam em conflito. Esse processo envolve o reconhecimento dos erros cometidos, o pedido sincero de desculpas e o comprometimento em mudar comportamentos prejudiciais.

No entanto, quando aplicamos esse conceito à nossa relação com o meio ambiente, ele ganha uma dimensão ainda mais significativa. A esperança de que a humanidade possa viver em harmonia com a natureza é um tema recorrente na literatura, filosofia e discursos ao longo da história. Frases inspiradoras refletem a crença de que sempre há um caminho para um futuro sustentável.

Isaac Newton, em sua sabedoria, afirmou que “a natureza é uma dádiva divina para a humanidade”. Essa perspectiva sugere que a natureza é um presente precioso que deve ser valorizado e preservado. John Muir, um defensor da conservação ambiental, destacou que “a natureza é a fonte da paz interior”, ressaltando a profunda conexão entre o bem-estar humano e o meio ambiente.

Diante das mudanças climáticas evidentes e da previsão de eventos extremos recorrentes, é crucial que nos comprometamos com políticas públicas de mitigação e adaptação. Devemos aplicar os princípios da prevenção e da precaução, evitando retrocessos legislativos. Embora obras de construção civil, como barragens, possam ser necessárias a curto prazo, precisamos reconhecer que as soluções mais eficientes para os problemas climáticos são aquelas baseadas na própria natureza.

Medidas como a diminuição do desmatamento, a recuperação de áreas degradadas (especialmente das margens dos cursos d¿água e de encostas), a restrição da impermeabilização do solo nas cidades e a proteção das áreas úmidas são de extrema importância. É interessante notar que, em Santa Catarina, ainda não há regulamentação de proteção para essas áreas úmidas pelo CONSEMA, ao contrário de outros estados da federação.

Portanto, a reconciliação com a natureza não é apenas um ideal distante, é uma necessidade urgente para a sobrevivência e prosperidade da humanidade.

*Promotora de Justiça Fernanda Broering Dutra, Coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *