SANTA CATARINA

Uso desenfreado de ivermectina pode estar por trás de surto de sarna em Balneário Camboriú

Duas creches tiveram aulas suspensas devido ao grande número de contaminações

Creche passou por desinfecção (foto: Divulgação)

Balneário Camboriú (SC) – O uso desenfreado – e não recomendado – de ivermectina para Covid-19 pode estar por trás do surto de escabiose, doença popularmente conhecida como sarna, em duas creches de Balneário Camboriú. Estudos recentes avaliam que o abuso do medicamento, que era incluído nos “kits Covid”, pode ter tornado mais resistente o parasita que provoca a escabiose.

Essa relação foi identificada por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), que publicaram em 2021 sobre a superresistência adquirida pelo ácaro sacorptes scabiei, responsável pela doença. Ao longo dos últimos anos, diversos surtos têm sido registrados em diferentes cidades no Brasil.

“não podemos afirmar (que seja o caso de Balneário Camboriú) sem a avaliação da resistência do parasita. Mas é uma possibilidade, sim”,  admite o  superintendente da  Vigilância em Saúde de Santa Catarina, o médico infectologista Fábio Gaudenzi de Faria.

Segundo ele, há uma fragilidade de dados sobre a doença porque a escabiose não tem monitoramento previsto pelo Ministério da Saúde. É recomendável que os municípios indiquem a ocorrência de surtos à Vigilância, mas nem todas as cidades o fazem.

“Se houver um aumento dos surtos vamos precisar mudar a vigilância, para entender o motivo da mudança do perfil”,  afirma o superintendente.

A secretária de Saúde de Balneário Camboriú, Caroline Prazeres, não acredita que haja relação direta entre o abuso do medicamento e o surto de sarna nas creches.

“O surto está bem restrito ao ambiente, houve uma transmissão em série, entre crianças de um a cinco anos “, relata.

As informações são do 

NSC Total

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *