PARANÁSAÚDE

Vigilância Ambiental realiza bloqueio químico contra mosquito Aedes aegypti em bairros de Guarapuava

O trabalho de pulverização de inseticida com o auxílio da bomba costal é realizado pela equipe de controle químico nos locais com maior circulação de vírus, após análise de notificações de casos

Guarapuava (PR) – A partir desta quinta-feira (3), os agentes de endemias da Vigilância Ambiental de Guarapuava iniciam as ações de bloqueio químico contra o mosquito Aedes aegypti em bairros da cidade. O objetivo é impedir a proliferação do mosquito, principalmente em bairros com altos registros de focos.

“Estamos seguindo uma norma do Ministério da Saúde. A população não precisa se assustar. Esse trabalho preventivo vai ajudar a combater o mosquito e diminuir os riscos de termos um surto de doenças, como dengue, zika e chikungunya”, sublinhou a chefe de Divisão da Vigilância Ambiental de Guarapuava, Sabina Curi.

O bloqueio químico consiste na aplicação localizada de inseticida com bomba-costal motorizada para eliminar o mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Conforme a Vigilância Ambiental, o trabalho deve diminuir de forma significativa os riscos de contaminação, além de garantir a saúde e o bem-estar da população.

Segundo o último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), o índice de infestação na cidade ainda é baixo. A preocupação se deve aos casos importados e à presença do vetor que, com altas temperaturas das próximas estações, se multiplica rapidamente. Até julho foram encontrados 167 focos do vetor.

O trabalho de bloqueio químico deve iniciar por borracharias, cemitérios e desmanches, em bairros com casos suspeitos notificados.

Com a utilização de pulverizadores Ultrabaixo Volume (UBV), os agentes realizam um bloqueio, atingindo o mosquito já em sua fase adulta. O trabalho de pulverização de inseticida com o auxílio da bomba costal é realizado pela equipe de controle químico nos locais com maior circulação de vírus, após análise de notificações de casos.

Secom/Guarapuava

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *