SEGURANÇA

Polícia prende homem suspeito de causar incêndio que matou casal

Imbituva (PR) – A Polícia Civil do Paraná, por intermédio da Delegacia de Imbituva, prendeu na manhã desta segunda-feira (17) um homem de 41 anos suspeito de causar o incêndio criminoso que resultou na morte de um casal de idosos na região de Cachoeira Grande, zona rural da cidade de Ivaí (PR). O crime, que aconteceu no dia 2 de julho, causou comoção na cidade e chamou a atenção da Polícia Civil, pois momentos após o óbito dos idosos, a família teve mais uma perda. Dois irmãos discutiram por causa do incêndio e um acabou matando o outro. Este homem de 36 anos que matou o irmão também foi preso pela Polícia Civil. O suspeito de causar o incêndio se entregou à polícia civil.

“O suspeito de 41 anos foi até um local na cidade de Ivaí com a intenção de atear fogo na casa de seu desafeto, contando que estivesse no local. No entanto, o alvo não estava no local. Como as casas [do alvo e de seus pais idosos] eram bem próximas, quase coladas, o fogo se alastrou e acabou consumindo também a casa dos idosos João Eugênio Padilha, de 74 anos, e sua esposa, Maria Fernandes Padilha, de 78 anos, que infelizmente morreram carbonizados no local”, disse  o delegado responsável pelas investigações, Dr. Thiago Andrade.

“Solicitamos uma perícia no local do incêndio. O laudo confeccionado pelo Instituto de Criminalística é claro e comprova que o incêndio aconteceu por ação humana, ou seja, descarta-se qualquer possibilidade de curto circuito ou outra falha em aparelhos da casa. Foi uma ação criminosa”, afirma o delegado.

Segundo o policial, quando o homem de 36 anos – que seria o alvo, chegou próximo à sua residência e viu o local pegando fogo, percebeu a gravidade e questionou ao seu irmão o que teria acontecido e se teria salvado os pais. O irmão atribuiu a culpa do incêndio a ele, o que gerou uma discussão áspera entre os dois. A discussão evoluiu para agressões e o suspeito – que seria o alvo do incêndio, acabou matando o próprio irmão. A vítima, Gabriel Padilha, de 51 anos, recebeu diversos golpes de arma branca e chegou a ser socorrido, mas não resistiu. O suspeito confessou, alegando legítima defesa, tese que, inicialmente, é descartada pela Polícia Civil.

Por fim, o Delegado ressaltou que se trata um crime trágico. “Uma família destruída, pois no mesmo contexto fático, os pais morreram e um irmão matou o outro. A Polícia Civil entrega mais um caso solucionado à população e com a prisão dos responsáveis”.

A prisão preventiva dos dois suspeitos foi representada pela Polícia Civil e concedida pela Justiça. Os presos foram levados para a cadeia pública de Irati e ficarão à disposição da justiça.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *